segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Turno: futebol ou campanha eleitoral?


Hélio Consolaro*


Uma palavra que vem do latim, mas no sentido de tornar, arredondar, voltar ao sentido inicial; o francês e o espanhol deram-lhe o sentido de revezar, alternar. E nesse sentido, a palavra passou para o português. 

Atualmente, os brasileiros estão enfrentando o segundo turno nas eleições para presidente e em alguns estados para governador. Uma forma de o eleitor governar com maioria, pelo menos dos votos válidos.

Também estamos no segundo turno no Campeonato Brasileiro em que o Palmeiras está em primeiro lugar. No futebol, tem o sentido de retornar ao ponto inicial, começar tudo novamente.

*Hélio Consolaro é professor de Português

TIRA-DÚVIDAS:

terça-feira, 28 de agosto de 2018

"Felipão prioriza as três disputas"



Nos programas e entrevistas esportivas, ouvimos muito o verbo priorizar sendo empregado em sentido inverso. Priorizar é dar prioridade, que significa ser o primeiro.

Se vai dar importância a tudo, como no caso o Palmeiras, não pode priorizar as três disputas das quais participa: Brasileirão, Copa do Brasil e Libertadores.

O Felipão pode valorizar as três, mas priorizar uma só, porque o sentido desse verbo é  “colocar em primeiro plano; dar preferência a”.

Num universo de três itens, podemos priorizar apenas um; de cinco, até dois. E assim por diante, conforme a lista de opções aumentar. Sempre priorizamos bem menos da metade da relação.

Da mesma forma se aplica o verbo em campanhas eleitorais, administração pública: “Qual será a prioridade de seu de seu governo?”. “Qual será a prioridade de sua ação parlamentar?”. Não pode ser o plano de governo todo. A relação de prioridades é restrita. Ou então se faz uma lista numa ordem de preferência.

Estamos conversados. Não se prioriza tudo ou quase tudo. Prioridade é ser primeiro.

SERVIÇO DE TIRA-DÚVIDAS:

Faria e traria - futuro do pretérito e futuro do presente



*Hélio Consolaro

Num programa bem antigo da TV Brasileira, a apresentadora de 70 anos, não é uma iniciante, disse: “Eu não fazeria isso”! 

Meus ouvidos acusaram o erro, mas não me escandalizei, porque os escorregões acontecem. Vamos aprender com o erro dela?

Verbos FAZER e TRAZER são irregulares nos futuros do modo indicativo, perdendo a sílaba ZE. Em vez de “fazeria”, o certo é “faria”, “traria”. Irregular é o verbo cuja conjugação foge do padrão.

Na escrita, use o seu dicionário (digital ou de papel) como fonte de consulta gramatical. Se ele for bom, completo, apresenta a conjugação dos verbos irregulares nos respectivos verbetes.

FUTURO DO PRESENTE DO MODO INDICATIVO
Fazer: Eu farei, tu farás, ele fará, nós faremos, vós fareis, eles farão.
Trazer: eu trarei, tu trarás, ele trará, nós traremos, vós trareis, eles trariam.

FUTURO DO PRETÉRITO DO MODO INDICATIVO
Fazer: eu faria, tu farias, ele faria, nós faríamos, vós faríeis, eles fariam
Trazer: eu traria, tu trarias, ele traria, nós traríamos, vós traríeis, eles trariam

*Hélio Consolaro é professor de Português

Conheça Araçatuba: www.aracatubaeregiao.com.br 

TIRA-DÚVIDAS ON-LINE: