sábado, 2 de novembro de 2013

Onça macho


Hélio Consolaro

O LIBERAL noticiou: “Um atropelamento resultou numa onça morta e em duas pessoas feridas na madrugada desta quinta-feira (24/10/2013) no quilômetro 3 da rodovia Gabriel Melhado (SP-463) entre Bilac e Birigui”.

Mas li numa legenda de foto de outro jornal: “Onça do sexo masculino foi atropelada...” Errou o editor, porque no gênero dos substantivos temos a categoria sobrecomum (usada para humanos), como: criança e vítima. Criança do sexo masculino ou vítima do sexo feminino.

Já para animais, há a categoria dos substantivos epicenos, que é usada para animais que não apresentam diferenças visíveis entre os sexos. A onça é exemplo de quase todas as gramáticas para substantivo epiceno: onça macho, onça fêmea; jacaré macho, jacaré fêmea. 

Escrever “onça do sexo masculino” não chega a ser um barbarismo, mas demonstra desconhecimento do capítulo da gramática: gênero dos substantivo.

Aproveitando o assunto “onça”, analisemos: “Chegou a hora da onça beber água”.  Frase tão a gosto do uso popular. Nela, há um erro sintático. A forma correta: “Chegou a hora de a onça beber água”, porque “onça” é sujeito do verbo “beber”, que não pode começar por preposição.  


2 comentários:

  1. Gosto muito dos seus esclarecimentos, são sem "rodeios"! como dizia minha avó.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário positivo. Fiquei feliz.

      Excluir